quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Como Evitar a Tristeza e a Depressão

Tristeza e Depressão são meros efeitos da ausência de um conjunto de funções sensoriais positivas, tais como as sensações de prazer, de bem-estar, de alegria, de saciedade e autoestima. Todo esse baixo astral tende a se agravar com a ansiedade e o estresse do dia a dia.

Esse conjunto de funções sensoriais positivas, por sua vez, só ocorre quando a pessoa mantém níveis elevados de alguns neurotransmissores, sobretudo da Dopamina, associada à Serotonina e à Endorfina.

Neurotransmissores, também conhecidos como hormônios, são substâncias químicas que fazem a interligação entre os neurônios, por meio de impulsos elétricos, permitindo ao cérebro interagir e controlar o funcionamento de cada uma das células do corpo e de cada função do organismo.

Por outro lado, constituem-se no sistema de indicadores responsável pela interação e mediação cerebral das respostas sensoriais emocionais e psíquicas, tais como as citadas sensações de prazer, de bem-estar, de alegria, autoestima, bem como sono, sede, dor, desejo sexual, fome, saciedade, etc.

Contudo, não é difícil elevar os níveis desses neurotransmissores e, com isso, reduzir sensivelmente ou eliminar a tristeza e a Depressão e, ainda, prevenir a ansiedade e o estresse. Basta adotar as seis recomendações listadas a seguir:

1.     Atividades Físicas de todos os tipos, com regularidade, especialmente aeróbicas, que aumentam a produção desses três hormônios acima referidos e de vários outros, além de combater a ansiedade e o estresse.

2.     Suplementação de Vitamina D3: O baixo nível de luz solar que recebemos diariamente não é suficiente para produzir a quantidade necessária dessa Vitamina, que é essencial na sintetização de praticamente todos os neurotransmissores. Portanto, sem ela, não se consegue aumentar a produção de nenhum deles.

3.     Suplementação de Ginkgo Biloba, que tem alto potencial para aumentar e manter os níveis de Dopamina e, de quebra, melhora a memória e a capacidade de raciocínio e concentração, especialmente quando associado ao DMAE.

4.     Consumo do aminoácido Tirosina (Acetil-L-Tirosina), que além de elevar o nível de Dopamina, também aumenta a Norepinefrina. É encontrado nas Carnes, peixes, aves, ovos, leite e laticínios em geral, queijos, amêndoas e castanhas, Bananas, Abacates, mas pode ser adquirido em cápsulas para suplementação.

5.     Suplementação do aminoácido L-Teanina, que é essencial na produção de vários neurotransmissores importantes no cérebro, incluindo a Dopamina. É encontrado principalmente no Chá Verde, nos cogumelos e também, em níveis residuais, nas carnes, ovos, leite e derivados. Porém, é conveniente fazer uso de suplementação sintética.

6.     Consumo de Curcumina, o ingrediente ativo da cúrcuma, presente no Açafrão da Terra que, além de uma extensa gama de outros benefícios, aumenta a produção dopamina no cérebro.



* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, MM

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Invidia

Publique nas redes sociais uma foto sua num restaurante famoso ou numa viagem esplêndida, ao lado de quem te ama. Comente que está ganhando um ótimo salário, que está amando e que é amado e que tudo está maravilhoso com você.
A maioria das pessoas que segue seu perfil vai preferir fingir que não viu, embora certamente quase todos verão. Há alguns que vão comentar com amigos comuns, fazendo insinuações pejorativas e perguntinhas maldosas. Estes são os que padecem de uma síndrome quase patológica conhecida como inveja e que, na verdade, buscam aliados para combater você de forma velada. "Porque ele e não eu?" é o pano de fundo desses invejosos.
Muito poucos vão se alegrar com o seu sucesso e raros serão aqueles vão curtir e admitir publicamente a sua satisfação, mostrando que se orgulham de ser seu amigo, sem medo de ficarem mal perante os invejosos.

Publique que está com um câncer severo, que perdeu o emprego, que fracassou na vida ou que seu filho está muito doente e praticamente todos vão se manifestar prontamente. Não porque são seus amigos, mas porque o fracasso e a doença provocam uma espécie de sentimento de solidariedade, que é derivado das fraquezas e do medo, tipo "aconteceu com ele, então pode acontecer comigo!"
Haverá, ainda, aqueles que vão se aproveitar do seu fracasso para ostentar uma falsa amizade e, assim, "ficarem bem na fita" perante os outros. Mas nada disso é sentimento de amizade.
(Do pensamento de Leandro Karnal, historiador, professor, curador de arte, escritor, filósofo.)