segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Mulher

No final do sexto dia, Deus ainda estava trabalhando na criação da mulher, quando um anjo veio e perguntou:
- "Por que gastar tanto tempo com ela?"
O senhor respondeu.
- "Você já viu a quantidade de especificações que eu tenho que seguir para concluir o projeto? Ela tem que funcionar em todos os tipos de situações! Deve ser capaz de abraçar várias crianças ao mesmo tempo, ter um abraço que possa curar qualquer coisa, desde um joelho esfolado até um coração partido; tem que curar e acalentar quando alguém estiver doente e, ainda, tem que ser capaz de trabalhar até 18 horas por dia... Tudo isso com apenas duas mãos."
O anjo ficou surpreso!
- "Só com duas mãos?! Impossível conseguir tudo isso tudo com esse modelo padrão!"
O Anjo aproximou-se e tocou a mulher
- "Mas você a fez tão macia, Senhor".
- "É!.. Ela é macia", disse o Senhor.
- "Mas, mesmo assim, eu a fiz forte. Você nem imagina o que ela poderá suportar e superar".
- "Ela pode pensar?" Pergunta o anjo.
- "Não só pode pensar, como poderá raciocinar, planejar e negociar".
O Anjo tocou o rosto dela ...
- "Senhor, parece que essa criação está vazando! Será que você colocou alguma carga muito pesada sobre ela?"
- "Ela não está vazando ... Isso é uma lágrima", esclareceu o Senhor.
- "Mas, pra que serve isto?"
- "As lágrimas são a maneira de expressar a sua dor, suas dúvidas, seu amor, sua solidão, o seu sofrimento e seu orgulho".
Isso deixou o anjo muito impressionado.
- "Senhor, você é um gênio. Você pensou em tudo. Uma mulher é realmente maravilhosa!"
E o Senhor completou:
- "De fato, ela é maravilhosa! Ela tem força que assusta um homem, ela pode lidar com vários problemas ao mesmo tempo e carregar fardos muito pesados. Ela possui felicidade, amor e opiniões e consegue sorrir quando sente vontade de gritar. Ela canta quando sente vontade de chorar, chora quando está feliz e ri quando tem medo. Ela luta pelo que ela acredita e seu amor é incondicional. Quando um amigo ou um familiar morre, mesmo com seu coração partido, ela ainda encontra forças para continuar com a vida."
O Anjo perguntou:
- “Então ela é um ser perfeito?”
O senhor respondeu:
- “Não. Ela tem um defeito! Muitas vezes ela se esquece de si mesma, pelos que ela ama."

(Inspirado em texto original de autor desconhecido)

* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Você e Deus!

Tanto a análise metafísica dos costumes, de Kant, quanto a crítica racionalista de Baruch Spinoza concluem que as pessoas obedecem a Deus por duas únicas razões: por interesse ou por medo!
Na prática, a nossa "fé" e a nossa relação com Deus seria algo mais ou menos assim:
-      Senhor! Eu dei uma esmolinha pra um faminto ali na rua! Anota aí!
-      Oh, Deus, eu fui à missa e comunguei nessa semana! Vê se não esquece!
-      Senhor Jesus, eu paguei cenzão de dízimo essa semana! Então, capricha na reserva do meu espaço exclusivo aí no Céu!
Ou então:
-      Ai, minha nossa! Xinguei aquele safado e agora o Satanás deve estar de olho em mim pra me pegar!
-      E agora!? Eu detonei aquele FDP e, por isso, o Belzebu vai fuder com a minha vida!
Ou seja, nós não rendemos nenhum culto ao criador do Universo. Sequer o tratamos com respeito. Apenas agimos como barganheiros egoístas e interesseiros, fazendo as coisas de olho numa compensação futura ou, então, como covardes que se borram de medo do Diabo, um mito fantasioso.
Pense nisso!

* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.

Do que você se arrependerá quando ficar velho

1.     Não ter viajado todas as vezes que teve chance;
2.     Não ter aprendido outro idioma;
3.     Ter insistido num relacionamento ruim;
4.     Não ter dedicado mais tempo aos estudos e à leitura;
5.     Não ter ido aos shows dos seus artistas preferidos;
6.     Não ter insistido nas atividades físicas;
7.     Ter deixado de fazer coisas que gosta por medo do que os outros dizem ou pensam;
8.     Ter continuado num emprego ruim;
9.     Não ter interrompido as viagens para apreciar o caminho;
10. Ter feito pouco caso da sua vaidade e da sua própria beleza;
11. Não ter cuidado melhor dos seus dentes;
12. Não ter dito “Eu te amo” muito mais vezes;
13. Não ter brincado muito mais com seus filhos;
14. Não ter ouvido os conselhos de seus pais;
15. Ter investido nos sonhos de outros, antes dos seus;
16. Ter guardado rancor;
17. Ter trabalhado demais;
18. Não ter manifestado amor e carinho aos que você ama, antes deles morrerem;
19. Não ter aprendido tocar um instrumento ou cantar;
20. Não ter feito mágicas para uma criança;
21. Ter perdido o contato com as amizades verdadeiras;
22. Ter se preocupado;
23. Ter sentido raiva;
24. Nunca ter apresentado uma performance na frente das pessoas;
25. Não ter feito uma palhaçada em público;
26. Não ter dado mais risadas.

      * Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

O que é arte?

Se a pessoa tem criatividade e habilidades para pintar quadros, dançar, fazer malabarismo ou trapézio, escrever poesias e contos, criar uma escultura ou um jardim bonito, tocar um instrumento, cantar, representar um personagem ou um palhaço, desenhar casas interessantes, personagens divertidos e revistas em quadrinhos, contar piadas, confeccionar criativas peças gastronômicas ou de vestuário, colares, pulseiras e outros artesanatos, então essa pessoa tem um dom que a destaca dos demais seres humanos, chamado talento artístico, também conhecido como vocação, por ser  uma característica peculiar inata (genética), que não se aprende na escola. Por isso, essa pessoa é reconhecida como ARTISTA.

Este é um conceito válido para as civilizações ocidentais contemporâneas. Em outras civilizações, arrancar o clitóris das meninas ou sacrificar uma criança num altar era arte, assim como na Espanha, torturar um boi num picadeiro até a morte, também é. Mas pra nós brasileiros de hoje em dia, nada disso é arte, pois não é bonito nem agradável aos nossos sentimentos.

O artista é um cara cuja sensibilidade da criação agrada a sensibilidade das outras pessoas, seja pela visão, pelo tato, pela audição ou pela emoção. Por isso, é merecedor dos aplausos, que Cícero chamava de "honos alit artes" (a honra devida aos artistas). 

Mas se o sujeito não sabe fazer nada disso, o simples fato de se deitar peladão no chão para que outros o futuquem, não é o bastante para que seja confundido com um artista. Afinal, qualquer um faz isso, até mesmo um animalzinho. Por isso, não é arte.
* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Isso é Bach

Segundo a lenda, quando se ouve Bach, sempre há um sentimento de que Deus também está ouvindo. Ele próprio acreditava que onde há música, Deus está presente, pois esta é a forma mais sublime de glorificá-lo e o meio mais eficaz de aliviar o espírito.

Johan Sebastian Bach produziu novas peças musicais para quatro igrejas a cada semana, totalizando, ao longo de 27 anos, mais de 6.000 obras espetaculares, sendo que cada peça musical era constituída, em média, por mais de trinta partituras, cada uma destas contendo uma trilha melódica diferente para instrumentos específicos e para vozes de corais.

Ao mesmo tempo, ele ministrava aulas teóricas e prática musical em várias escolas, onde se formaram centenas de instrumentistas de orquestras e cantores de corais em toda a Alemanha e até em outros países.

Para homenagear esse grande gênio, vale apreciar um pouco dessa bela apresentação de uma das suas mais famosas peças:
Jesus, Alegria do Homens

* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.


sábado, 30 de setembro de 2017

Higiene e relacionamentos

Uma pesquisa realizada na Inglaterra pela Warner Brothers, revela que o desleixo com a higiene pessoal, especialmente em relação à higiene íntima, é a quarta maior causa de términos de relacionamentos, perdendo apenas para Ganho Excessivo de Peso (1ª), Avareza (2ª) e Incompatibilidades de Gênios e de Rotinas (3ª).
Mulheres também dão motivo ao desencanto de parceiros por causa da higiene íntima inadequada ou desleixo, mas os homens são a grande maioria. A maior surpresa desse resultado ficou por conta da quantidade de reclamações, a maioria delas, pela falta de higiene dos homens após fazerem suas necessidades fisiológicas, superando os clássicos protestos por falta de banho e de escovação de dentes.
Seja por preconceito, por desinformação ou por ignorância, a verdade é que é muito raro entre os homens o hábito de se lavarem após defecarem. No máximo usam um papel higiênico, cujo efeito, em termos de higiene, é quase nada, pois apenas retira os pedaços maiores de fezes, espalhando a parte residual pela região anal. Obviamente, essa área permanecerá exalando cheiro de fezes, até que esse cara tome um banho de verdade, com água e sabão. Enquanto isso, seu próprio olfato se acostumará com esse cheiro e ele sairá por aí exalando o odor fétido, sem se dar conta disso.
Os desconfortos sofridos pela parceira
Acontece que a esposa ou namorada é quem mais sofre com essa situação, pois é quem mais se aproxima, inclusive quando ele tira a roupa. Sem falar numa eventual relação sexual antes do banho, quando o odor, muitas vezes, toma conta do ambiente, sendo que o parceiro que o exala ignora, pois o seu olfato já está acostumado.
Outra situação extremamente desagradável é quando a esposa cuida de providenciar a lavação da cueca desse sujeito que, obviamente, estará impregnada de resíduos de fezes e muito malcheirosa.
Contudo, ao contrário da falta de banho e da escovação de dentes, tratar desse assunto nem sempre é fácil! É um tabu, muitas vezes intransponível para as esposas e namoradas. Por isso, depois de um certo tempo suportando tamanho desconforto, surge a aversão, o afastamento instintivo e, finalmente, a antipatia que sepulta de vez o relacionamento.
Os aspectos culturais e sociais
Certo é que, sem o uso de água e sabão, nenhuma pessoa sai limpa, após fazer suas necessidades. Independentemente de se esfregar papel ou qualquer coisa que o valha, a pele permanece impregnada de resíduos de fezes contaminadas de bactérias, que proliferam, alimentadas pelo suor, podendo acarretar riscos de doenças e, por consequência, o corpo e a roupa exalarão o mau cheiro característico.
O hábito de usar papel higiênico é um ato meramente ilusório, que não confere nenhuma higiene, especialmente por causa da porosidade da pele na região anal. Tente “limpar” com papel alguma outra parte da pele, acidentalmente suja de fezes e verá que não resolve nada! O mau cheiro permanecerá por dias a fio, enquanto não for lavado com água e sabão.
Todavia, não se pode dizer que apenas os homens têm sua higiene íntima inadequada. Mulheres que não fazem uso da ducha higiênica, seja após urinarem ou após a defecação, ficam ainda mais vulneráveis, não só pelo cheiro desagradável, mas também devido ao risco maior de contaminação.
Culturalmente o Brasil conta com um fator favorável nesse aspecto, pois é proporcionalmente o país onde mais se registra aparatos de higiene íntima. Nós somos o maior produtor e maior consumidor de duchas higiênicas íntimas, assim como no passado éramos os campeões de produção de bidês sanitários. Contudo, ainda estamos longe do ideal, pois é raríssimo um banheiro público com ducha higiênica, assim como ainda há muitas residências desprovidas desse dispositivo tão útil, além de pessoas que não adotam por falta de informação e até preconceito.
As reclamações e pedido de socorro delas
Portanto, note-se que preservar uma relação não requer tão somente manter o respeito, o diálogo, a amizade, a fidelidade, o romantismo e o bom humor. Há também que se cuidar da higiene pessoal, e a referida pesquisa revela que os homens, via de regra, não têm demonstrado muita habilidade nesse aspecto.
Por isso, constrangidas e sem coragem de abordar o assunto com seus próprios parceiros, mulheres de todo o mundo recorrem aos aconselhamentos dos chats online especializados. Vejam a seguir alguns exemplos postados na publicação do Jornal Buzzfeed:
"Okay. Então o meu marido está me broxando. Estamos casados há dois meses. O que eu devo fazer? O cheiro do sapato dele empesteia todo o quarto. Ele também veste cuecas brancas. Quando eu estava lavando as roupas todas as cuecas dele tinham manchas marrom. Achei nojento. Uma vez estávamos transando, comigo em cima dele, e depois que terminamos ele levantou e tinha uma mancha marrom onde a bunda dele estava na cama. Ah sim e uma vez eu entrei no banheiro e estava cheirando cocô. Eu tentei descobrir de onde o cheiro estava vindo… Então vi papel higiênico no lixo com vários pedaços de cocô. Então, tive certeza que ele não sabia pra que serve a duchinha higiênica! Tomei coragem e falei com ele, tentei explicar como usar. Ele ficou bravo e gritou comigo. Disse que um homem de verdade não mexe na bunda ou abre ela por nada. Homens não abrem as nádegas para limpar… nada pode entrar ali. O que precisa acontecer? Sugestões? Conselhos? Sem esculacho!" [NK – Baltimore – Maryland, USA]
"Eu (24 anos, mulher) descobri que meu namorado (26 anos, homem) nem sequer limpa a bunda. O que eu faço?
Eu tentei ensiná-lo como usar toalhinha umedecida ou, pelo menos, limpar a bunda, mas ele não parece ligar. Ele diz que lavar as nádegas e deixar a água com sabão escorrer por perto é suficiente, mas eu aprendi que lavar entre as nádegas com minha mãe quando era bem nova. É simplesmente nojento pensar que meu namorado está andando por aí o dia inteiro com cocô na bunda. Me diga, Reddit, eu devo terminar?" [ML – London, UK]
"Como eu [25 anos, mulher] faço meu namorado [22 anos, homem] entender que isso é nojento? Então a coisa é que eu e meu namorado temos padrões de limpeza completamente diferentes e têm coisas que eu acho totalmente nojentas que ele acha ok, e essa é uma delas: andamos muito por nossa casa pelados, e ele estava enrolado em um cobertor ontem, peidou nele e imediatamente foi ao banheiro. Eu percebi que havia umas manchinhas no lugar por onde a bunda dele estava… Então, sim, tinha um pouco de cocô ali. Achei engraçado mas também nojento o suficiente para não usarmos mais o cobertor até lavarmos, ele discordou, mas disse: ‘foda-se’ e deixou o cobertor de lado. 
Aí, hoje, depois de termos discutido isso um pouco mais a fundo e eu deixar claro que um cobertor cagado era nojento, eu o vi usando o cobertor de novo enquanto ele estava cozinhando para mim. Claro que eu senti nojo e disse que não iria comer alguma coisa feita por alguém enrolado em um cobertor com cocô, mas ele acha que não estou sendo justa." [CW – Fort Wayne, Indiana, USA] - reddit.com
"Meu namorado é uma pessoa maravilhosa e eu não tenho reclamações, exceto isto... Na semana passada, eu fiquei na casa dele por alguns dias. Em sua pilha de roupas, percebi que suas cuecas tinham várias manchas de fezes. (...) No meu último dia lá, havia uma mancha nos lençóis e ele não pareceu se preocupar muito sobre isso. Sua higiene é muito boa fora isso. Eu não sei se ele está se cagando na cama e na roupa ou não está se limpando direito. Eu sei que ele não usa se lavar depois que vai ao banheiro." [SL – Kansas City – Missouri, USA] – reddit.com
"... - todo dia as cuecas dele têm manchas marrons, às vezes pouco, às vezes MUITO, e quase sempre dá até para sentir o cheiro. A cadeira dele, a calça dele e mesmo ele durante o sexo tem um "cheiro de bunda" meio bolorento e distinto." [QT – Atlanta – Georgia – USA].
Resposta da conselheira do site reddit.com: “Homens, nós gostamos de vocês, às vezes até amamos vocês. E, por causa disso, queremos ter certeza de que sabem lavar suas bundas ou, pelo menos, limpar. Homem, não tenha medo da sua bunda. Mantenha-a limpa e trate ela com carinho. Use uma ducha! Não tenha medo de mexer entre as nádegas! Assim vocês vão poupar as suas amadas de conviverem com mau cheiro e de pensar que vocês andam cagados pelas ruas.
Fontes:

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Como o populismo desvirtuou a política.

Em Porto Alegre tem dois ou três elevadores que são verdadeiras peças de museu. Um deles fica na Galeria Pedro Chaves Barcellos, conhecida como Galeria Chaves, que fica no edifício de mesmo nome, mandado construir na década de 1930 pela riquíssima  e tradicional família Chaves Barcellos no estilo dos palazzos renascentistas. Outrora um dos lugares mais elegantes da cidade, hoje, com de resto boa parte da Rua da Praia, está decadente. Mas o velho elevador continua lá funcionando e, quando o local ainda era elegante, trabalhou lá como ascensorista um jovem de nome Leonel.

Pois esse garoto, certamente com imensa dificuldade, conseguiu estudar e passar no vestibular para o curso de engenharia. Sabia, desde cedo, e por experiência própria, que o estudo era a melhor forma de tirar o pé da pobreza e que com esforço, sacrifício, perseverança e foco até alguém como ele poderia ser doutor.

Certamente com base nessa experiência foi que, quando governador do estado do Rio de Janeiro, o então Engenheiro Leonel Brizola construiu, em 4 anos, mais de 6 mil escolas, a maioria delas em grotões distantes e desassistidos. E certamente foi com base nisso tudo que, décadas mais tarde, criou os CIEPS, talvez a única política pública capaz de resolver ou pelo menos amenizar consideravelmente o problema das favelas do Rio.

O mais importante, segundo disse em entrevista, era manter as crianças e os jovens o mais tempo possível dentro do ambiente escolar, muito mais salutar do que tinham em casa ou na rua, fornecer-lhes várias refeições saudáveis e plenas, algo que geralmente não tinham em casa, e o vislumbre de uma outra realidade, possível e ao alcance delas. 

Mas o Leonel também era um guerreiro – tinha que ser, pra chegar de ascensorista a engenheiro e pra desencadear a Campanha da Legalidade – e, embora fosse um estadista e não um poste, tinha a flexibilidade deste último, algo não muito bom para um político. Queria porque queria, na marra, transformar o Brasil num país socialista/comunista.
Deu no que deu!

[Texto publicado pelo meu amigo, Especialista em Políticas Públicas, Consultor do Senado Federal, Istvan Wadja]

* Editado por Marcio Almeida, Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Informática, ex Coordenador Geral de Modernização e Tecnologia nos Ministérios da Justiça e do Trabalho e Emprego, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, MM